terça-feira, novembro 02, 2010

Para lá da história

Já aqui falei sobre aquela nossa ida ao cinema. Quando eu tinha 10 anos, ou coisa que o valha, e tu me falaste de conseguir ver para lá do que o filme mostrava, de tentar perceber-lhe a mensagem. De ir à busca dessa mensagem como se buscam tesouros. E eu a ouvir-te incrédulo e desconfiado "Que disparate de conversa. Então para lá das imagens.... Mas que raio de mensagem falas tu?"
Depois, e aos poucos, fui percebendo o que me querias dizer e lá fui sabendo descobrir, aqui e ali, a mensagem para lá das imagens. A história para lá da história.
E hoje pai? E hoje à frente de tanta gente que te homenageava na partida, e eu a precisar tanto de conseguir perceber para lá das imagens. E hei-de consegui-lo, mas por ora a imagem é só a ausência de ti e o vazio imenso.

9 comentários:

Anónimo disse...

Vais conseguir sim...Já passei pelo mesmo e posso dizer q o pior ainda está para vir. As saudades vão apertar e vais ter dias de raiva também. Mas tudo isso será ultrapassado pela tua sensação de dever cumprido, pela tua dedicação, pelo amor q lhe tiveste e q tantas vezes demonstraste. Ficará para sempre as recordações dos momentos felizes e esse são os únicos q deves relembrar.
Muita força para ti e para a tua familia neste momento dificil.

Beijo grande e abraço apertado!

Marlene

@na disse...

beijo [com abraço] grande.

pal disse...

(não sabia)

:(
um grande beijinho.
um abraço forte também à Teresa.

G_ticopei disse...

Hoje o meu pai completaria 65 anos de vida, se a puta da doença o não tivesse levado, sem sequer o deixar conhecer a neta que eu já trazia dentro de mim, e ele queria tanto conhecer... Dói, revolta e deixamos de acreditar em tanta coisa, mas depois com o passar do tempo, a dor adormece, fica quietinha dentro de nós porque passamos a sentir connosco os que partiram. Mas como digo, a dor só adormeceu, e tem dias que acorda e dói mais. A única diferença é que aprendemos a lidar com ela e a saber fazê-la adormecer de novo...
Força, vá! Por si, pela sua mãe e pelos seus filhos e esposa que também sofrem ao senti-lo assim. Beijo.

eMe-a-eMe disse...

um beijo grande, um abraço apertado

Anónimo disse...

Novamente nao resisto a comentar – se anteriormente foi por me ter provocado gargalhadas, agora foi por me levar as lagrimas.

Os meus sentimentos pela sua perda. Envia-lhos quem ja passou por uma situacao semelhante, mas 2x, primeiro por um pai, anos mais tarde por um padrasto, um segundo pai. De facto o sentimento de perda vai-se atenuando com o tempo, se lhe servir de consolo, mas a dor e, e sera, de tempos a tempos, avivada por cada acontecimento marcante em que vai desejar que ele ca estivesse.

Esta altura das nossas vidas e, sem duvida, muito marcante. Somos o pilar da geracao seguinte, mas tambem progressivamente, e as vezes sem aviso, passamos a se-lo da geracao anterior.
M. Silva

Mª João disse...

Precisamente à 18 anos atrás, também eu tentava perceber "para lá das imagens". Confesso que ainda hoje não sei se cheguei lá mas tenho a certeza que a mensagem e o exemplo ficaram e isso é o mais importante, o conseguirmos ser Pai ou Mãe como eles eram!
Bjs grandes

Teresa disse...

Sinto muito, André :'(

Clau disse...

.... existem momentos em que o silêncio é o nosso melhor aliado, porque nos permite pensar nas situações com a devido distância e com os sentimentos necessários... acho que todos já passámos ou iremos passar por isto; compete-nos lembrar o melhor e pensar que ainda nos vamos encontrar um dia.