quarta-feira, outubro 20, 2010

Tio

Eu reconheço que até incentivo os Marias a tratar os nossos amigos por Tio e por Tia. É prático, e resolve rapidamente o dilema de tratar por senhor, por você ou por tu quando não sabem o nome dos adultos. Também é verdade que cria algumas situações mais ou menos embaraçosas. A senhora do parque infantil no outro dia bem que tentava explicar ao sirenes que, por muito que quisesse, não era tia dele.
Existe, no entanto um limite de idade legal para este tipo tratamento: a adolescência ou a puberdade ou o que quer que seja. Rapazes e raparigas na segunda metade do 3º ciclo ou já na faculdade a tratarem-me por "tio" não pode ser. Mas não pode ser mesmo, até parece que não sou da geração deles.
No outro dia um universitário de barba tratou-me por "Tio" !!! Mas que merda é esta? Um tipo com pelos na cara a tratar-me por tio, não sendo filho da minha irmã? Então eles não percebem que me fazem sentir assim .... velho? O que é que se segue ? "Olá tio-avô"?

5 comentários:

Artur disse...

Explica lá outra vez essa relação entre avô e velhice.

André disse...

Há excepções avô Artur.

pal disse...

:) de pequenino... é começar agora, André.
por essas, mas mais por outras, acho tão melhor o tratamento "omisso", na terceira pessoa:
"olá, como está?"
"já viu o desenho que eu fiz?"
"podemos ver filmes no seu computador?"

se gaguejarem por quereremm lembrar-se do nome, eu acho que o visado deve safá-los com o próprio do nome e não com o já banal do "tio"....

mas, André, considera-te com sorte: tinha eu 28 anos quando um rapaz de 22 me chamou tia, só porque é sobrinho, de facto, de um primo por afinidade. Ele disse: "Adeus, tia." Faz sentido? Um simples adeus, até à próxima, soava tão melhor. É a vulgarização do termo.

Eu vou ser tia MESMO muito brevemente. E gostava tt de ser exclusiva desta sobrinha. E dos que ainda vierem.

:)

Cool Mum disse...

:D
eu tb acho que devia acabar, no máximo, aos 13/14 anos

Clau disse...

Eu compreendo o conceito de tio e tia, mas só para dois tipos de caso: 1º quando são mesmo tios de parentesco; 2º quando já têm uma certa idade e fica "bem" tratar os mais velhos assim. E pronto, de resto, trata-se pelo nome próprios que os putos raramente esquecem.