segunda-feira, dezembro 28, 2009

Kidzinferno


Está bem que o Natal dá muita caloria, à conta de um despudor gastronómico, mas sempre em lógica de compensações com as actividades que envolve. Viagens entre casas carregados com quantidades no limiar da pornografia de prendas para todos os que nos dizem algo e as crianças sem escola que, parecendo que não, também puxam muito pelo desgaste. Ora se há bilhetes para o zoo, vamos lá tratar de mais uma volta entre os grandes primatas e os felinos e os ursos e as girafas. E aquela promessa há tanto feita, de ir à kidzania, não haverá melhor altura para a cumprir. Vamos lá então a essa dita cidade dos mais novos onde adultos são turistas acidentais e crianças são quem garante o frenesim. A ideia não é nada má não fosse a obrigatoriedade de acompanhar o mais novo e portanto de lá passar horas intermináveis.
A kidzania fica no Dolce Vita Tejo, um imenso shopping, mais ou menos lotado e mais ou menos improvável. É uma cidade onde eles são todas as profissões e onde ganham umas notas parecidas às do monopólio e onde há diversões onde gastam as mesmas notas. Podem ser polícias, bombeiros, médicos, seguranças, caixas de supermercado, funcionários dos correios, jornalistas, pintores das obras, trolhas, trabalhadores da pizza hut e do mac donald's. Podem gastar em escalada, corridas de automóvel, jogos de futebol, pintura artística, salões de jogos, pizzas e hamburguers. São eles a decidir onde ganham e gastam os dinheiros e se ao fim do dia conseguirem 75 kidzes podem abrir uma conta no banco e ganhar um cartão multibanco para levantarem na atm da cidade.
Tudo seria lindo e muito tranquilo, não fosse a cidade sofrer excesso de população. Não há cemitério nem enterros e pela porta de entrada nascem centenas de crianças. Todas tratadas por senhores, donos da sua vontade. Aquilo é obra do Demo ou na melhor das hipóteses de Dante. Medonho de cansativo. Mas a promessa tinha sido feita desde a abertura e portanto o "Quando vamos à kidzania ?" tratava-se de um tema perto do inadiável. Valia pois o imenso penar todas aquelas horas na cidade dos pequenos selvagens.
Espanto e terror, quando à saída descubro um novo tema aberto: "Quando voltamos à kidzania ? É que temos muitos kidzes para levantar com o nosso cartão de débito".
Malditas mentes deturpadas que inventaram tamanho espaço. Quando é que voltam ?
Nuncaaaaaaaaaaaaaaaa

2 comentários:

Rui Figueiredo Vieira disse...

Simplesmente "Impacavel"!!!! Abraço

Cool Mum disse...

:DD
alterno entre a curiosidade e o 'não quero saber!'