quinta-feira, maio 21, 2009

Submarino ao Fundo

Um décimo do que eu fazia. Saiba eu que fazes um décimo do que fazia na tua idade. A nespereira até lá acima em casa da Avó Céu, ou descer pelos tubos que suportavam a escada de serviço desde o quarto andar até ao rés do chão, ou subir as mesmas escadas sempre pelo lado de fora do corrimão, ou subir as paredes do corredor e passar por cima das portas , ou andar nos telhados dos prédios em frente à Igreja do Bairro, ou entrar em casa pela janela aberta da marquise. Sonhe eu que chegas a estes calcanhares, e falta-me imaginação para a reacção. Não obstante, podes partir-te um bocadinho, mas só mesmo um bocadinho e daqueles que são de rápido remédio. Um dedo vá. A cabeça pronto. Ou o queixo, que eu também parti. Um dente é discutível, só se for daqueles que ainda não são definitivos, ou que o sendo estão sentados nos lugares mais baratos, segundo ou terceiro balcão. Os dentes que estão na plateia VIP não são para partir, definivamente não pode ser. Sobretudo esse, o do meio, em cima, a favola maior. Logo esse que substituiu muito a custo, um outro que, com um ano, resolveste enfiar para dentro numa queda e que portanto andou morto até cair, dando lugar a essa fabulosa favola que agora está … partida ??? Favola partida é uma chatice João Maria, é como partir uma das tuas bochechas. É um cartão de visita. Tu vai-me preparando uma história comovente e heróica, que eu estou capaz de descontar o dinheiro de um pivot na tua mesada … ora fazendo as contas, em 400 semanas o caso fica sanado.

4 comentários:

Filipa disse...

Não me diga...

Anónimo disse...

Filipa, dizemos sim.. qd ele me ligou a contar, por uns breves segundo quis ouvir :"mãe parti um dedo"...sempre era 3 semanas de gesso e a coisa estava feita. Agora o dente grande da frente!!! Era só mesmo o que nos faltava para alegrar o ramalhete cá por casa!
bjs
ana

Paulo disse...

Miúdos irrequietos é o que dá. Eu dentes nunca parti (em miúdo, quero eu dizer). Apenas a cabeça e a clavícula esquerda. Mas o JM já se recompôs?

Iris R. Costa Barroso disse...

Antes assim , cheios de ida, do que apáticos...

Pensem no peso que seria se ele não se mexesse, não vivesse, não fosse criança?!