terça-feira, maio 04, 2010

Quinhentas por dia

A braços com os resultados do exame que monitorizou durante um dia o meu coração, o médico pediu um second round. Não me bastou andar um dia a gravar a actividade cardíaca, tive que repetir a brincadeira, só porque naquelas 24 horas, a coisa registou 499 paragens inferiores a 2 segundos e uma paragem nocturna de 2,33 segundos. Isto só quer dizer que eu sou um tipo poupado no que diz respeito a batimentos cardíacos. Se fosse um automóvel era híbrido, e se fosse um esquentador era inteligente. Como sou um gajo, tenho que repetir a brincadeira, porque o coração entra em gestão de esforço. E faz ele muito bem, porque a maior parte das batidas devem ser escusadas. Não servem para nada.
Agora a sério. Então eu morro às 500 vezes por dia e o médico acha isso mau? Eu acho normal. O que não acho normal é a inexistência de festejos em cada ressurreição. Então o Outro que deu de si, e ainda por cima para dar de si, foi preciso fazer aqueles quilómetros todos, mais a cruz, mais os espinhos e ainda ficou para lá prespegado na torreira do sol durante uma data de tempo, e ainda se queixou que os técnicos não sabiam o que faziam e demorou três dias até ressuscitar e sabe Deus o que teve que fazer para o conseguir. Dizia eu então o Outro que ressuscita passados três dias, e há dois mil anos que se festeja o evento com vigílias, e lava pés e jejuns, e borregos, e procissões, e mais a cruz a passear na aldeia a ser beijada por toda a gente que este ano foi um disparate em soluções anti gripe A para manter a tradição, que até acabou tudo bêbado porque se esgotou a solução e untaram aquilo com aguardente e ninguém parava de beijar o Homem, e mais os ovos, e os coelhos, e tolerâncias de ponto à quinta à tarde que transformam qualquer empresa à quinta de manhã numa cresce publica, e eu que ressuscito à média de 20 vezes à hora, e acho que eles sabem o que fazem, mas nem a uma porcaria duma gala da TV eu tenho direito? Desculpem, mas acho um bocadinho desequilibrado. Chamem-lhe inveja, chamem-lhe ciúmes mas também quem não sente não é filho de boa gente e um gajo sente estas coisas. Mexe comigo, prontos.
Menos mal, vejamos o que diz este segundo exame. Mas vou já avisando, que se voltar a dar que morro em demasia, não se atrevam a chibar-se aos empregos e às seguranças sociais que vão logo arranjar maneira de dizer que ando a descontar tempos que não estou vivo, e que afinal nestas condições só me posso reformar lá para depois dos 80, que eu ando a fingir que vivo, e que não tenho direito ao ordenado por inteiro e o camandro. Se se puserem com essas merdas, ficam já a saber que vou reivindicar os subsídios de ressurreição e pensões de alimentos para os dependentes para cada vez que me baldo. Ficam, portanto, desde logo avisadinhos.

5 comentários:

Moura disse...

LOL - o post é uma maravilha!
PS - A segurança social não sei, mas a seguradora de saúde/vida é capaz de ficar mais alerta com esta novidade...

Paulo disse...

O outro não ficou à esturra do Sol. Caiu-lhe uma trovoada em cima para o refrescar.

Veruska disse...

Muito bom, sim senhora. Fartei-me de rir :-) :-)
(Espero que este 2º exame dê tudo bem)
Veruska

sem-se-ver disse...

vc é uma pessoa extraordinária.

Ana Clara disse...

Só rir! :)))